Incentivo ao Crescimento

Incentivo ao Crescimento

Texto chave: “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” (Filipenses 1.6).

Introdução

Nos versos anteriores aos quais se subordina o verso acima, Paulo expressa razões de sua oração a favor dos filipenses (vs. 3-5), que fundamenta sua certeza no vs. 6. Os cristãos de filipos demonstraram interesse comunitário pelo evangelho “... em razão da vossa generosidade/cooperação para com o evangelho...” (a palavra usada para generosidade ou cooperação como se encontra nas traduções é κοινωνία / koinōnia).

A certeza de Paulo expressa através do verbo πεποιθώς /pepoithōs (estar convencido, persuadido), é, portanto uma certeza de fé. Sendo assim, podemos ter convicção que se estivermos operantes em nossa fé, Deus tem um propósito de maturidade para cada um de nós. É isto que Paulo e Timóteo escrevendo aos cristãos de Filipos inclusive aos bispos e diáconos (Fp 1.1), deixam meridianamente claro: “... aquele que começou... Há de completá-la” (Fp 1.6).  

1.     Aquele que começou... (Fp 1.6a)

A boa obra de Deus tem um começo. “... ὅτι ό ἐναρξάμενος ἐν ὑμῑν...” = “... o que começou em vós...” Deus começou para si mesmo em nós a boa obra. Isto ocorre quando ouvimos o evangelho do Reino de Deus, aceitamos a Jesus Cristo como Senhor, somos batizados e recebemos o Espírito Santo (Conferir At. 2.14-38). Assim nascemos de novo e nos tornamos nova criatura (Conferir 2 Co 5.17). Estas realidades espirituais devem ter expressão pratica como evidencia que garante e confirma sua veracidade. Era o que estava ocorrendo com os filipenses.   

2.     ...há de completá-la (Fp 1.6b).

A obra do Reino não tem só um começo, mas um desenvolvimento, um crescimento, um processo que nos habilita para a segunda vinda de Cristo. O verbo utilizado para completá-la é ἐπιτελέω/epiteleō, com o sentido de: trazer a um fim; finalizar; completar; aperfeiçoar; realizar até o termino, ou seja: “Até o dia de Cristo Jesus” (Fp 1.6), assim sendo, nossa fé precisa ser desenvolvida (Conferir Lc 5.23; Ef 5.26-27 e Ef 4.11-16).

Quando Jesus voltar, Ele vira sem pecado (Hb 9.28) e o veremos como Ele é, pois seremos semelhantes a Ele (Conferir 1 Jo 3.2).

3.     Características desta maturidade que nos habilita para a segunda vinda de Jesus Cristo (Fp 1.9-11).

  1. “... que o vosso amor aumente mais e mais...” (Fp 1.9). Amor (ἀγάπη/agapē – amor que procede de Deus) cada vez maior, com abundancia constante, continua que é o sentido do verbo grego “περισσεύω/perisseuō” por Jesus, uns pelos outros e pelos não crentes.
  2. “... em pleno conhecimento e toda a percepção...” (Fp 1.9). Conhecimento traduz aqui a palavra grega ἐπίγνωσις/epignōsis em seu sentido pleno que abrange intuição, intimidade e experiência, não somente racionalidade, o que conduz a também a percepção, no grego αἴσθησις//aisthēsis, significando discernimento de valor ético-espiritual, sensibilidade plena, compreensão de toda a realidade espiritual resultante do relacionamento com a pessoa de Jesus.
  3. “... para aprovardes as coisas excelentes...” (Fp 1.10).Aprovardes” no grego δοκιμάζειν/dokimazein que significa: provar; experimentar; avaliar; aprovar, tudo com o sentido de comprovação interna advinda do pleno conhecimento e percepção.  “... as coisas excelentes...” o termo grego para excelentes é διαφέροντα/diapheronta que trás a ideia daquilo que se distingue, se sobrepõe, se diferencia, ou seja, as coisas melhores ou excelentes como está no texto.
  4. “... e serdes sinceros e inculpáveis...” (Fp 1.10). Sinceros do grego εἰλικρίνεῑς/eilikrineis (íntegros, puros, inocentes, sinceros, singelos), que traduz a ideia de uma sinceridade fervorosa, transparente, calorosa e iluminada que é o sentido dos verbos εἰλίσσω/eilissō + κρίνω/krinō. Inculpáveis do grego ἀπρόσκοποι/aproskopoi (inculpáveis, irrepreensíveis, íntegros, inocentes) que traduz a ideia de moralmente íntegros.  
  5. Cheios de ações justas por causa da fé e obediência à Cristo, “... cheios do fruto da justiça, o qual é mediante Jesus Cristo...” (Fp 1.11). Cheios do grego πεπληρωμένοι/peplērōmenoi = Levar a cumprimento; completar; executar; cumprir; terminar; acabar; repletos. Traz a ideia de completude de um processo que expressa os frutos de justiça, por meio de Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus.

 

Portanto, aquele que começou a boa obra vai completar em nós até a vinda de Cristo, num processo continuo e progressivo onde a maturidade se manifesta em frutos de justiça. Podemos ter esta esperança, pois quem prometeu é fiel.  

Tópico: Incentivo ao Crescimento

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário