A Eficácia da Cruz

A Eficácia da Cruz

Três coisas são almejadas pelo ser humano: Sabedoria, Status e Poder. Porem, não são consideradas por Deus quando Ele nos chama (1ª Co 1.26). Ao valorizá-las como meio de alcançar a dignidade, oprimimos os menos favorecidos e acalentamos o orgulho, a soberba, a vaidade e a frivolidade como estilo de vida.

Paulo era um homem sábio segundo a carne, tinha uma herança cultural e familiar importante no seu tempo (Fp 3.3-6). Sua experiência entre os coríntios revela o conteúdo de seu ensino. A cruz reduziu-o a nada. O que vemos é um homem quebrantado, humilde e dependente de Deus (1ª Co 2.2-4). “Conhecer a Jesus crucificado” 1ª Co 2.2, não era tanto uma definição teológica, senão sua própria identificação com os sofrimentos de Cristo e a eficácia transformadora que esta experiência lhe trouxe.

Em Gn 11.4, temos a síntese da visão do sistema babilônico: “... E tornemos célebres o nosso nome” Em todas as atividades humanas, inclusive as essenciais,  a visão intuitiva do ser humano reflete a intenção de satanás de glorificar o homem caído, pois este lhe serve de instrumento de edificação do sistema. A cruz de Cristo acaba com este projeto, pois a única dignidade ao homem é sua restauração ao propósito original de Deus.

A astúcia satânica é seduzir o homem pelas riquezas, pelo poder, pelo status, conferindo-lhe fama e prestigio que alimentam o ego, as que finalmente lhe destrói a alma. Precisamos tomar cuidado. O poder econômico esta identificado com a besta, tanto quanto o poder político e religioso, está identificado com Babilônia (Ap 17.8-13).    

Deus contudo, em Sua sabedoria, escolheu as coisas loucas, fracas, humildes e desprezadas pelo sistema para envergonhá-lo e reduzi-lo a nada. Elas demonstram a vitória de Jesus sobre os principados e potestades, forças espirituais e espíritos dominadores deste mundo. Satanás ofereceu a Jesus poder e a glória deste mundo (Mt 4:8). Ele, todavia escolheu a cruz como opção de vitória. Ali no Golgota, Jesus consumou a vitória a qual é também nossa herança. O sistema não pode vencê-lo e crucificou-O, expondo assim publicamente sua natureza maligna (Cf. 1ª Co 2:8 e Cl 2:15).

A chave portanto, para a cruz se tornar nossa experiência, com toda sua eficácia, pode ser vislumbrada na expressão de Paulo aos Filipenses: “... por amor do qual (Jesus) perdi todas as coisas...” (Fp 3:9). Este batismo significa renunciar a fama, ao poder, as riquezas, ao status, por amor de Jesus.

Esta é a eficácia da cruz!

Tópico: A Eficácia da Cruz

Data: 17-02-2016

De: wrr

Assunto: fegw

weeww

Novo comentário