A família, uma Instituição Divina

A família, uma Instituição Divina

Deus tem um propósito para o casamento. Quando instituiu a família em Gênesis 1.26-28.  O seu principal objetivo não era a relação sexual ou a felicidade do casal. Estas coisas, entre outras, fariam parte do casamento por ele estar de acordo com a vontade de Deus (Hb 13.4 e 1º Co 7.3-5). Por conseguinte, temos a seguinte ordem no texto de Gênesis acima:

a) Imagem e semelhança: “... façamos o homem à nossa imagem e semelhança...”; 

b) Expansão do domínio de Deus sobre a criação, tendo o homem como instrumento deste domínio: “...tenha ele domínio...”

c) A bênção da multiplicação: “...sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra...”.

Aqui está o plano de Deus, o homem em plena comunhão com Deus, se multiplicaria e o reino de Deus se expressaria por toda a terra. Entretanto, a psicologia moderna distorce as razões do casamento fazendo da felicidade existencial de cada cônjuge ou de ambos a razão de ser do casamento, ignorando completamente o propósito para o qual o mesmo foi instituído. O propósito de Deus para o casamento é o de ter uma descendência piedosa (Ml 2.14-15). A vida piedosa se expressa através da santidade, que é um estado produzido pela obra santificadora do Espírito Santo. Santidade é condição essencial que nos qualifica a estarmos na presença do Senhor (Hb 12.14 e Ef 1.4).

Tópico: A família, uma Instituição Divina

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário