4 (Quatro) Coisas Necessárias Para Fazer a Obra de Deus

25-09-2010 15:09

 

4 (Quatro) Coisas Necessárias Para Fazer a Obra de Deus                                       

 

 “Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais. Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares. (Josué 1:6-9)

 

A obra de Deus não pode ser feita por voluntários. Não pode ser feita de acordo de acordo com os projetos humanos independentes de Deus, Seu propósito e Sua vontade. Daí que, a tese deste estudo é que Deus tem um projeto, uma forma de executá-lo e para isto chama e comissiona homens para trabalhar em cooperação com Ele. No texto acima, seu projeto era conduzir o povo à terra prometida (vs. 6). Para isto chama Josué e lhe dá instruções especificas de como fazê-lo (vs. 7 à 9). Na leitura do texto acima podemos então destacar quatro coisas necessárias para fazer a obra de Deus, a saber:

 

1. Consciência do Chamado de Deus

 

 “Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.” (Josué 1.9)

“Não te mandei eu?” Fica claro a necessidade de ser enviado por Deus. Ninguém pode fazer a obra de Deus sem mandato. Doutra sorte, quem é enviado deve ter consciência disso. Outras aplicações deste versículo:

a)      Quem chama capacita: “Sê forte e corajoso...”

b)      A presença de Deus é garantida na execução do chamado: “Porque o Senhor é contigo por onde quer que andares” (Conferir com o nosso chamado em Mt 28.18-20; 1ª Pe 2.9; Rm 10.9-10).

 

2. Visão

 

“Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares.” (Josué 1.7)  

Sem visão não teremos estratégia, coesão e comprometimento do povo com a causa que esposamos. A visão do rumo certo nos compromete com a oração, estimula a nossa fé e fornece bases definidas para a obediência. Nossa visão prática:

a)      Evangelho do reino de Deus

b)      Discipulado (Ser e fazer discípulos)

c)      Vida em comunidade (Comunhão e relacionamentos)

d)      Igreja nas casas

 

3. Transmissão

 

 “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” (Josué 1.8)

Transmissão diz respeito à forma e comunicação da visão. Antes de tudo, porém, se faz necessário incorporar, encarnar a visão: “...antes, medita nele dia e noite...” Se a causa que esposamos não nos envolver completamente, não conseguiremos a adesão de outros. O que devemos transmitir em relação à visão:

a)      Conhecimento: Não nos referimos aqui a conhecimento intelectual somente, mas aquele que advêm da relação e intimidade com Deus e Sua palavra.

b)     Experiência: Se relaciona à prática do conhecimento.

c)      Conduta e comportamento: Se relaciona à transformação como resultado da obediência e do relacionamento.

d)     Relacionamento: Se refere à forma como conhecimento, a experiência e a conduta são obtidas, isto e, através da comunhão intima com Deus e uns com outros.

4. Comprometimento  

 

“Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” (Josué 1.7-8)  

Para teres o cuidado... (vs 7), ...para que tenhas o cuidado... (vs 8). Comprometimento diz respeito ao zelo que temos com nosso chamado, com a visão e a transmissão. O fracasso nesta área pode comprometer todo o projeto.

Características do comprometimento:

a)      Pontualidade

b)      Assiduidade

c)      Tempo qualificado

d)      Disponibilidade

Conclusão

 

É bem possível ser chamado por Deus e ter consciência disso. Entretanto, se a visão for negligenciada, a transmissão não for adequada e o comprometimento não for integro, não haverá sucesso no empreendimento, embora Deus tenha prometido (vs 7 e 8). A prosperidade “então farás prosperar o teu caminho e serás bem sucedido...” (vs 8), depende de uma espiritualidade comprometida com o chamado, visão e transmissão do projeto de Deus.